Páginas

terça-feira, 16 de junho de 2015

Cidades de Papel - Filme

No dia 9 de julho de 2015 irá estrear Cidades de Papel, mais um filme baseado nos livros de John Green. É uma das adaptações cinematográficas mais aguardadas do ano. Será estralada mais uma vez pelo ator Nat Wolff (o amigo de Gus em A Culpa é das Estrelas) e por Cara Delevigne. Pedi para minha amiga Vitória escrever uma resenha do livro, e sinceramente foi uma das melhores que li sobre o livro, então...

"John Green, com sua leitura fácil e suave nos trás desta vez Cidades de Papel. O enredo envolve Quentin, um garoto que está cursando o último ano, apaixonado pela sua vizinha, Margo Roth Spielgelman, a qual ele considera seu milagre. Os dois se conhecem desde pequenos, por volta dos nove ou dez anos eles encontram um homem morto no parque e a – grande – curiosidade de Margo fez com que ela ‘’investigasse’’ quem era o cara e como ele havia morrido. Com o tempo, os dois se afastaram e seguiram caminhos diferentes.
Alguns anos depois, em uma noite que tinha tudo para ser só mais uma qualquer, sem qualquer aviso, Margo aparece na janela de Quentin, convidando-o para uma aventura e ele acaba aceitando, pegando o carro de sua mãe. Juntos, eles colocam em prática todo o plano que Margo havia feito, este envolvia se vingar de todas as pessoas que vinham magoando-a nos últimos tempos. E tudo que ele pensa no final da noite é que no outro dia, depois de tudo o que eles haviam feito juntos, ela iria voltar a falar com ele no colégio.
Porém, tudo muda, quando no outro dia ela não fala com ele, na verdade, ela nem aparece na escola. Margo havia desaparecido. Não era a primeira vez, ela vivia fazendo isso e toda a vez deixava dicas de onde foi para alguém, seja na sopa ou em um comentário anônimo na internet. Depois de alguns dias e nada dela aparecer, todos começam a ficar preocupados e Quentin resolve investigar o paradeiro dela, junto com seus inseparáveis amigos Ben e Radar e da melhor amiga de Margo, Lacey, eles embarcam em uma viagem, em meio a cidades de papel e locais abandonados, em busca do paradeiro de Margo. O livro possui um ritmo tranquilo, conquistador e com momentos muito hilários.
O final em si, que de certa forma me decepcionou um pouco, não vou mentir, entretanto, ele se aproxima mais da vida real do que o final dos outros livros – que eu tenha lido- do John. Realmente o livro foi maravilho e eu mal posso esperar para a estreia do filme." 
Rocha, Vitória


Trailer 1

Trailer 2



Nenhum comentário:

Postar um comentário